segunda-feira, 8 de abril de 2013

A cidade é uma ilha de portas fechadas. Stone Town, cidade de pedra. Mouros, ingleses, indianos, judeus, africanos, todos querem o cheiro dessa cidade. Cidade das especiarias. Pimenta, cravo, noz moscada, jambo, canela, baunilha. Cidades de frutas e frutos do mar. E turistas, obviamente, atraídos pelo cheiro bom dos temperos e do churrasco assado à beira-mar. Cidade do comércio de escravos. Onde a escravidão nasceu e morreu, velha, muito velha, de idade. Cidade de ladrões travestidos de respeitosos senhores. Cidade de portas fechadas, lindas portas fechadas a sete chaves. Foi lá onde roubaram meu ipod, recheado de belíssimas canções brasileiras e cubanas. Sambas, salsas, mambos, jazz. Música de negros. Hoje alguém dentro de alguma porta trancada traz nos ouvidos os cheiros das américas. Cheiro de cana-de-açúcar. ¡Azúcar!

Nenhum comentário:

Postar um comentário